Notícias PPGAS

Por Francirosy Campos Barbosa, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, Júlio César Suzuki e Rose Satiko Gitirana Hikiji, professores da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP

Professora sênior do Departamento de Antropologia da USP, onde obteve seu doutorado em 1993 e onde é docente desde 1988, a Profa. Lilia Moritz Schwarcz foi eleita a 07 de março de 2024 para a cadeira 9 da Academia Brasileira de Letras. Seus muitos livros e artigos são referências fundamentais para a antropologia brasileira e para a compreensão do Brasil, especialmente - mas não apenas - em áreas como relações raciais, cultura visual e história intelectual. A Profa. Lilia Moritz Schwarcz destaca-se também como grande intelectual pública, com contribuição ímpar para o debate de grandes questões nacionais e para a luta antirracista no país. A cadeira na ABL soma-se a inúmeros reconhecimentos nacionais e internacionais, na academia e além dela, que incluem uma bolsa da John Simon Guggenheim Foundation, a comenda da Ordem Nacional do Mérito Científico Nacional, e posições como pesquisadora e professora visitante em prestigiosas instituições acadêmicas brasileiras, europeias e estadunidenses. A Profa. Lilia Moritz Schwarcz tornou-se a 11ª primeira mulher imortal da ABL na véspera do Dia Internacional da Mulher. O Departamento de Antropologia parabeniza com entusiasmo a nova imortal e a Academia Brasileira de Letras por sua eleição.

Esta é a quinta edição do prêmio que destaca mulheres cientistas dedicadas às pesquisadoras nacionais que tenham prestado relevantes contribuições a ciência e gestão científica, além de terem realizado ações em prol da ciência e da tecnologia nacional.
https://confap.org.br/news/sbpc-divulga-vencedoras-do-5o-premio-carolina-bori-ciencia-mulher/

O Portal de Livros Abertos da USP publicou o e-book " Cinema negro: D’África à diáspora – o pensamento antirracista de Kabengele Munanga", de Celso Luiz Prudente, Rogério de Almeida (Organizador). 

Para acessar os outros títulos: Portal de Livros Abertos da USP

Livro "Exu: Um Deus Afro-atlântico no Brasil" (Edusp) do antropólogo Vagner Gonçalves da Silva recebe o Prêmio Literário Biblioteca Nacional 2023 (na categoria “Ensaio Social - Prêmio Sérgio Buarque de Holanda) e o 9º Prêmio ABEU - Associação Brasileira das Editoras Universitárias (na categoria Ciências Sociais).

Mais informações: https://www.fflch.usp.br/139220

https://www.premioabeu.com.br/resultado-2023

 

 

"Katherine Dunham" [autora], escrito por Vanessa Cândida Lourenço, https://ea.fflch.usp.br/autor/katherine-dunham

"Êxtase religioso: um estudo antropológico da possessão por espírito e do xamanismo" [obra] de Ioan Myrddin Lewis, escrito por Lucas Ramos da Cunha, https://ea.fflch.usp.br/obra/extase-religioso

"Hutukara Associação Yanomami" [instituição], escrito por Corrado Dalmonego, https://ea.fflch.usp.br/instituicoes/hutukara-associacao-yanomami

"Bruno Latour" [autor], escrito por Marisol Marini e André S. Bailão, https://ea.fflch.usp.br/autor/bruno-latour

"Kabengele Munanga" [autor], escrito por Clayton Guerreiro, https://ea.fflch.usp.br/autor/kabengele-munanga

"Museu de Arqueologia e Etnologia da USP" [instituição], escrito por Camilo de Mello Vasconcellos https://ea.fflch.usp.br/instituicoes/mae-usp

"Curt Nimuendajú" [autor], escrito por Peter Schröder https://ea.fflch.usp.br/autor/curt-nimuendaju

"O totemismo hoje" [obra] de Claude Lévi-Strauss, escrito por Camila Galan de Paula https://ea.fflch.usp.br/obra/o-totemismo-hoje

No dia 05 de maio de 2023, foi decretado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) o fim da Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional da Covid-19, um pouco mais de três anos após a mesma entidade ter anunciado seu início. Esta ação de caráter epidemiológico e político não representa o fim da pandemia, mas sim que chegou a hora dos países fazerem a transição do modo de emergência para o manejo da doenças junto a outras de caráter infeccioso. Ao ouvir a notícia, muitas pessoas certamente se emocionaram. Esta reação não está necessariamente relacionada há alguma alteração no cotidiano em si, já que há meses temos retomado nossas vidas – graças à vacinação, necessário ressaltar –, mas porque a pandemia Covid-19 e a forma como ela foi conduzida, mudou profundamente nossas vidas, relações e subjetividades. Assim, se a Emergência de Saúde Pública acabou os efeitos da crise continuam em nossas memórias, corpos, no luto cotidiano e na vida coletiva. 

O Podcast "Ecos Pandêmicos" tem como objetivo refletir sobre tais efeitos. Iniciamos sua produção em 2021, ainda em um período muito dramático da crise. Abordamos a pandemia numa dupla temporalidade. Reunimos múltiplas vozes – pesquisadoras, ativistas, profissionais de políticas sociais, moradoras das periferias e outras presenças que circularam na imprensa e nas redes sociais – para compreender o que vivíamos. Concomitantemente, o passado recente ecoou num esforço de elaboração de nossos medos, perdas, adoecimentos e dos efeitos duradouros do processo, trágico para mais de 700.000 pessoas. Impondo assim dificuldades de entrever um futuro.  

Partimos da experiência brasileira, mas tendo como pano de fundo o sul-global a partir de um jogo de espelhos com o contexto sul-africano. As desigualdades sociais de países como Brasil e África do Sul foram intensificadas com a pandemia? Como o Sistema de Saúde Público brasileiro enfrentou a Covid-19? Como passamos a conviver com a hesitação vacinal generalizada? Por que a insegurança alimentar voltou a ser um pesadelo para o país? Para quem o cuidado se tornou mais pesado durante a pandemia? Buscamos construir um espaço de partilha e de reflexão a respeito das dificuldades, experiências e aprendizados de um dos períodos mais sombrios de nossa história. Procuramos, ainda, demonstrar como as ciências humanas, mais especificamente a antropologia, pode contribuir para o enfrentamento dos efeitos duradouros da Covid-19. Neste sentido, o Podcast cumpre o papel não só de divulgação científica, mas tem também a intenção de intervir no debate público sobre o tema. 

O Podcast está disponível no canal do PPGAS no Youtube e no Spotify.

O Podcast "Ecos Pandêmicos" é produto do projeto de extensão universitária "A pandemia do Covid-19 sob perspectiva interseccional em territórios periféricos: diálogos entre Brasil e África do Sul", financiado pelo Pró-reitoria de Cultura Extensão Universitária (PRCEU/USP) no âmbito do  Edital: ODS-ONU (2021) coordenado por Laura Moutinho, professora do Programa de Antropologia Social (PPGAS) da Faculdade de Filosofia Letras e ciências humanas (FFLCH) da USP e vice-coordenado por Márcia Thereza Couto professora do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina também da USP, a FMUSP. O projeto  contou com o apoio do Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA/FFLCH/USP), Núcleo dos Marcadores Sociais da Diferença (NUMAS/FFLCH/USP) e do Núcleo de Saúde, Interseccionalidade e Marcadores Sociais da Diferença (SIMAS/FMUSP)

 

FICHA TÉCNICA DO PODCAST

Direção e apresentação: Milena Mateuzi Carmo

Produção: Laura Moutinho, Márcia Couto e Milena Mateuzi Carmo

Roteiro: Alessandra Kelly Tavares de Oliveira, Camila Carvalho de Souza Amorim, Elda de Oliveira, Fernanda Martinelli, Laura Moutinho, Luana Luz, Milena Mateuzi Carmo e Thais Henriques Tiriba,. 

Pesquisa: Alessandra Kelly Tavares de Oliveira, Bruna Aparecida Gonçalves, Camila Carvalho de Souza Amorim, Elda de Oliveira, Fernanda Martinelli, Laura Moutinho, Luana Luz, Milena Mateuzi Carmo, Thais Henriques Tiriba e Thiago Mendonça da Silva

Entrevistas: Alessandra Kelly Tavares, Elda de Oliveira, Laura Moutinho, Luana Luz, Maria Edijane Alves, Milena Mateuzi Carmo e Thais Tiriba, 

Gravação em estúdio: Lisa – Laboratório de Imagem e Som em Antropologia com trabalhos técnicos de Leonardo Rovina Fuzer e Luana Luz. Javali Filmes, com trabalhos técnicos de Anderson Souza. 

Edição e desenho de som: Anderson Souza e Milena Mateuzi Carmo 

Dublagem em português: Thais Tiriba e Rodrigo Figueiredo da Conceição

Tradução: Thais Henriques Tiriba

Identidade Visual: Gustavo Deslandes

Distribuição: Santiago Ribeiro Sousa e Milena Mateuzi Carmo

Agradecimentos:

André Lima, Celso Luiz de Oliveira Junior, Elaine Lima, Eliane Weinfurter, Eugênia Motta, Fernanda Almeida, Luana Oliveira, Lucilene Albino, Maria Railda Silva, Pedro Lopes, Ricardo Souza Santos, Soraya Fleisher, às trabalhadoras do SASF-Capão Redondo e às pessoas que participaram dos grupos focais ao longo do projeto.

 

Estão abertas, no período de 03 de abril a 02 de junho de 2023, as inscrições para candidatura a três bolsas de pós-doutorado na área de Antropologia Social/Teoria Antropológica, associadas ao Projeto Temático FAPESP 2020/07886-8 "Semânticas da criação e da memória", que preveem pesquisas realizadas em mais diversos campos etnográficos no Brasil, mas não exclusivamente. Uma bolsa supervisionada pela professora Fernanda Arêas Peixoto e uma bolsa supervisionada pela professora Ana Claudia Duarte Rocha Marques estarão sediadas no Departamento de Antropologia da USP; uma bolsa supervisionada pelo professor Jorge Luiz Mattar Villela estará sediada no Departamento de Antropologia da UFSCAR.

A doutoranda Liza Ysamarli Acevedo Sáenz recebeu o Prêmio Vídeo Pós-Graduação USP 2022 para a grande área de Ciências Humanas. O vídeo "As pátrias, a casa e o corpo: imagens do visível e do não visível das vidas de mulheres familiares de desaparecidos do conflito armado da Colômbia" apresenta sua pesquisa de doutorado, desenvolvida sob orientação de Rose Satiko Gitirana Hikiji. A premiação ocorre em 22 de novembro de 2022, durante o 3o encontro de Pós-graduação da USP. O vídeo pode ser assistido em https://www.youtube.com/watch?v=DL-U2GaBBH0